segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Viagem à África do Sul (Parte 2)

Trip to South Africa (part 2)

07/10/2008 - Cidade do Cabo - Paarl -  Franschhoek

Após o café da manhã fechamos a conta no Hotel Steenberg e fomos para a região de Paarl, nome dado quando o colonizador viu um morro de pedra que molhado e com a luz do sol parecia uma pérola.

Interior da vinícola Veenwouden, observem as barricas de carvalho francês tinindo de novas.

No caminho visitamos a vinícola Veenwouden, cuja produção anual é de apenas 24.000 garrafas. Possui vinhos de alta qualidade. Os vinhos foram servidos na própria adega com canapés harmonizados para cada tipo degustado. Provamos canapé de biltong (carne seca temperada) e caramelo, camarão e salame ao molho de limão.  Degustamos Thornhill Vivat Bachus White Blend 2007, acompanhado de kani com molho curry, Thornhill Vivat Bachus Red Blend 2006 servido com camarão e salame ao molho de limão, Veenwouden Merlot 2004 servido com Biltong e caramelo, Veenwouden Classic 2004 e Veenwouden Syrah 2006. www.veenwouden.com

Canapés (a toalha preta surpreendeu).

Visitamos a vinícola Nederburg. Foi a maior vinícola visitada nesta viagem, produzindo 14 milhões de garrafas ao ano. Local bonito, mantidas as edificações dos antigos proprietários servindo de museu. Nesta vinícola provamos Nederburg Winemasters Reserve Sauvignon Blanc 2008, Nederburg Rosé 2008, Nederburg Shiraz 2006, Nederburg Edelrood (Cabernet Sauvignon Merlot) 2006, Nederburg Ingenuity Red Blend 2007 e Nederburg Noble Late Harvest 2007. www.nederburg.co.za

Montanha de granito que originou o nome da região

Depois fomos conhecer a Laborie. Fomos recebidos pela Sra. Franciska. O almoço na propriedade foi muito bom com comidas típicas, carne de avestruz e de antílope bobote etc. Propriedade muito bonita com vista para a montanha de granito que quando molhada parece uma pérola e dá o nome à região. Foram degustados: Laborie Sauvignon Blanc 2007, Laborie Viognier 2007, Laborie Pinotage 2006, Laborie Merlot/Cabernet Sauvignon 2006 e Pineau de Laborie (como um vinho do porto mas menos doce). www.laboriewines.co.za


O almoço foi servido em um lugar especial, 1° prato - Sweet potato, sesami cake topped with smoked ostrich (avestruz), 2° prato - freen fig  mango salsa Gasela com coco ralado, boboties (comida dos escravos da malasia ) e pringbok (antílope). Bebemos Laborie Merlot, o qual combinou muito bem com as carnes exóticas servidas e as comidas apimentadas.

Tínhamos agendado uma visita na Cooperativa KLW, mas saímos muito tarde do almoço e resolvemos pular esta vinícola. Então fomos direto para Glen Carlou. Tinha um cachorrão que apoiava a cabeça na mesa, muito simpático. Lá compramos patê de zebra e de crocodilo. Degustamos Glen Carlou Tortoise Hill White 2007, Chardonnay 2007, Glen Carlou Tortoise Hill Rosé 2006, Glen Carlou Tortoise Hill Red, Syrah 2005, Grand Classique 2005, Glen Carlou Cabernet Sauvignon 2006 e Glen Carlou Zinfandel 2005. http://www.glencarlou.co.za/

O cachorrão simpático

Partimos para o Hotel Protea, em Franschhoek, onde fomos recebidos com vinho espumante e lá ficamos hospedados por 5 dias. Protea é a flor simbolo da África do Sul.

Franschhoek, que significa “o canto dos franceses” em africaner (um dos 11 idiomas oficiais da África do Sul. É um idioma germânico, cuja origem remonta ao holandês falado no século XVII e sofreu influências de diversas outras línguas), foi colonizado por franceses protestantes enviados pela companhia das Índias Orientais para produção de uva e oliva em 1688. Com ótimos restaurantes e próximo da Cidade do Cabo (cerca de 50 Km) é comum os Capetonian irem jantar lá. Fomos jantar no restaurante Kalsfis, um restaurante simples, ficamos em uma mesa na rua e faltou luz no restaurante. http://pt.wikipedia.org/wiki/Franschhoek

08/10/2008 - Franschhoek

Como de hábito nos encontramos no café da manhã. Chovia muito e o John telefonou informando que atrasaria um pouco.

Fomos então para a primeira vinícola do dia  Boschendal (Rupet Rothchild) com vinhos produzidos no estilo francês. Bela propriedade. Começamos a degustação no jardim e tivemos que entrar por causa da chuva. Provamos Boschendal 1685 Sauvignon Blanc Grand Vin Blanc 2007, Boschendal Blanc de Noir 2008, Boschendal Le Bouquet 2008, Boschendal Lanoy 2007 e Boschendal 1685 Shiraz 2004.
http://www.boschendal.com/


Na sequência, fomos conhecer a L'Ormarins. Lá degustamos L'Ormarins Chardonnay 2005, L'Ormarins Sauvignon Blanc 2006, L'Ormarins Optima (Cabernet Sauvignon 60% Merlot 30 % Cabernet Franc 7% Petit Verdot 3%), Terra del Capo Sangiovese 2004, Terra del Capo Pinot Grigio 2007, Terra Del Capo Arné (50% Sangiovese e 50% Merlot fermentados juntos) e Porto. http://www.rupertwines.com


Depois fomos para a Haute cabriere onde fizemos uma degustação, seguida de almoço. Logo na entrada tinha um fêmur de um elefante entalhado, a 'peça' era bonita e diferente. Na degustação foram servidos Pierre Jourdan Brut NV, Pierre Jourdan Cuvee Belle Rose NV, Haute Cabrière Pinot Noir 2004 e Pierre Jourdan Ratafia NV.


No almoço foram servidos (a francesa) com entrada de queijo de cabra quente sobre uma torrada, 1° prato - salada, o 2° - costela de cordeiro e sobremesa - creme brulee.

Já no fim da tarde fomos a vinícola Boekenhoutskloof. Apesar de constar para a operadora que estava confirmado, a vinícola não tinha nossa visita marcada.
Ficamos esperando sem saber se seríamos atendidos. O enólogo que nos atenderia estava atendendo outro grupo e um integrante desta grupo nos falou: "cala a boca". Depois ele veio  pedir desculpas, pois ele era holandês, casado com uma brasileira de Goiânia e falava um pouco de português. Ele disse que não sabia que do jeito que ele falou "pegava mal" (pelo menos foi o que ele disse...).

As vinícolas fecham as 17h e até resolver tudo já era 17h. O enólogo já tinha ido embora e fomos atendidos por outro funcionário, o Inocêncio. Acho que provamos toda a linha, foram mais de 10 diferentes. Os três últimos eram os tops e mesmo depois de toooodas, ainda achamos estes os melhores provados. Os vinhos provados foram: Porcupine Ridge  Sauvignon Blanc 2008, Porcupine Ridge Viognier/Grenache 2007, Boekenhoutskloof Semillon 2005, The Wolftrap 2007, Porcupine Ridge Merlot 2007, Porcupine Ridge Cabernet Sauvignon 2006, Porcupine Ridge Syrah 2006, The Chocolate Block 2006, Boekenhoutskloof Cabernet Sauvignon 2006 e Boekenhoutskloof Syrah 2006.


Vimos um lindo arco-íris e o sol refletindo sua luz pelas nuvens na montanha. A cena é inesquecível...


Após voltarmos para o hotel, saímos para jantar em um restaurante de comida francesa, eu comi um prato de salmão (era um bolinho apimentado) e a Ida comeu um filé, muito bom.

Neste dia provamos 26 rótulos diferentes.

To be continued...


Atualização:  Contato do nosso guia na África do Sul, Isako John Shivuri, celular +27 78 796 8276, +27 72 801 2270, office  +27 21 823 8520, info@hellobrazil.co.za, http://www.hellobrazil.co.za

Veja também:
Viagem à África do Sul (Parte 1)
Viagem à África do Sul (Parte 3)
Viagem à África do Sul (Parte 4)
Viagem à África do Sul (parte 5)