domingo, 10 de março de 2013

Viagem para a Itália (Parte 6 - Sardenha)

03-05-2010

Costa Esmeralda.

Após a travessia, chegamos a Sardenha, fizemos um passeio pela Costa Esmeralda.  A Ju (nossa guia) falou sobre o beco dos bilionários, Graziano Mesina e seus sequestros e sobre o pane Carasau (ou pão carta de música) que é um pão muito fino em formato de disco (como pizza) e quando comemos faz barulho ao se quebrar na boca, dai o motivo do nome.

Restaurante em Su Gologone.

Almoçamos num dos lugares mais característicos da Sardenha, SU GOLOGONE. Um restaurante bonito, longe de tudo, sendo que, segundo nos foi falado, é necessário reservar com antecedência de um ano e meio. Lá comemos um churrasco assado em uma lareira grande. O lugar era uma vila, tinha até museu de arte, muito bonito.


Fizemos uma visita à cantina CANTINA OLIENA, simpática, mas os produtos não impressionaram. Na Sardegna, além do italiano, é falada a língua sarda, que tem influência do italiano e do catalão, inclusive, têm algumas palavras que lembra o português.



Vimos nossos primeiros Nuragues (mais detalhes em italiano), que são construções de pedra em formato circular feitas por uma civilização anterior a dos romanos (a qual viveu entre 1.800 e 1.100 a.C). Os nuragues eram habitações, também servindo de fortaleza para se defenderem dos inimigos.
Na sequência,  seguimos até Oristano, onde ficamos hospedados no Hotel Mariano IV.

04-05-2010


Na visita à CANTINA CONTINI fomos muito bem recebidos pela Sra. Giovana. Cantina particular, com 115 anos. Destaque para os Vernaccia di Oristano que tem, no mínimo, 15° de álcool.
Ali têm vinhos brancos envelhecidos 40 anos pelo sistema parecido com o do Jerez, o solera. O barril é preenchido com apenas ¾ da capacidade, sendo assim, uma camada, que aparenta espuma e é conhecida como flor, se desenvolve na superfície do vinho. Trata-se de um fungo conhecido como saccharomyces cerevisiae.

Reparem na superfície do vinho.

Fomos visitar a praia Is Arutas, na Península del Sinis, cuja areia é composta de pequenas bolinhas de pedras de quartzo brancas e rosadas, sendo que há outra praia com “areia” completamente rosa, mas está fechada para visitação.


Nosso almoço foi no restaurante SA PISCHERA, onde foram servidas comidas típicas pene, miggine e fregula e muito peixe. A fregula é uma comida típica da Sardenha e consiste em pequenas bolinhas feitas de sêmola parecido com cus-cus israeliano.


Visita à cantina social DELLA VERNACCIA di Oristano (cooperativa de porte médio).
Fomos comer doces sardos com Vernaccia di Oristano.

05-05-2010

Fizemos uma visita à cidade de Alghero e visita à cantina SANTA MARIA LA PALMA (cooperativa grande com muitos rótulos). Boa recepção.

06-05-2010

Transfer para o aeroporto para o voo de retorno à Florianópolis.

Veja também:
Viagem para a Itália (parte 1)
Viagem para a Itália (parte 2)
Viagem para a Itália (Parte 3 - Trento)
Viagem para a Itália (Parte 4 - Veneto)
Viagem para a Itália (Parte 5 - Toscana)