sábado, 5 de outubro de 2013

Reunião n° 159 - Aniversário de 6.0


Reunião nº 159

Dia: 27/07/2013


Tema: Comemoração de aniversário 6.0.


Local: Bistrô da Marizia.



Vinhos:

  • Chateau Ausone, % álcool, ano 1974, vinho tinto fino seco St Emilion 1er gran cru classé. Vve. C. Vauthier & J.Dubois-Challon, St-Emilion, Bordeaux, França. Castas: corte bordalês com dominância Merlot. Este ícone da vitivinicultura francesa era para ser a vedete da noite. Infelizmente a rolha já estava comprometida e o vinho apesar de bebível não ofereceu o que dele se esperava. (nº663);
  • Almaviva, 14,5 % álcool, ano 2006, vinho tinto fino seco. Viña Concha y Toro e Philippe de Rothschild S.A., Puente Alto , Vale do Maipo, Chile. Castas: 63% Cabernet Sauvignon, 26 Carmenère, 9% Cabernet Franc e 2% Merlot, que estagiou 17 meses em barricas de carvalho francês novas. "De cara, muita fruta vermelha (groselha e framboesa) e negra (amora, mirtilo e ameixa) em compota e pimentão entremeados por notas de carvalho novo, que imprimem um caráter “verde”, um pouco selvagem, mas sem agressividade. Em alguns segundos, um tostado, baunilha, tabaco, mentolado e chocolate também deram o ar da graça. É daqueles vinhos que dá vontade de ficar curtindo os aromas por muito tempo. Paladar de grande estrutura, mastigável. Muita fruta madura bem contornada pela acidez. Taninos maduros. Excelente equilíbrio. Ótimo para consumo, mas certamente ainda deverá evoluir por longos anos. Muito persistente." da ficha técnica (664);
  • Toknar, 14,5% álcool, ano 2005, vinho tinto fino seco. Von Siebenthal vale do Aconcagua, em Panquehue , Chile. Castas: 100% Petit Verdot. Não agradou muito. No catálogo diz que a guarda mínima é de 20 anos. Talvez tenhamos cometido um infanticídio (nº665);
  • AAlto PS 15 % álcool, ano 2009, vinho tinto fino seco. Bodegas AAlto, Ribera del Duero Espanha. Castas: 100% Tempranillo. Foi um dos mais apreciados. "Frutas negras, violetas, torrefatos com notas minerais, tabaco, chocolate, cacau, taninos de altíssima qualidade (sedosos, vivos e maduros). Acidez excelente. No retro-gôsto, muito longo, reaparecem as frutas, alcaçuz e defumados, um equilíbrio impressionante " da ficha técnica (nº666);
  • Chryseia, 14% álcool, ano 2004, vinho tinto fino seco DOC Douro. Symington Family Estates, Douro, Portugal. Castas: Aragonez, Touriga Franca, Touriga Nacional. "Aromas terrosos, com sugestões de cogumelos e frutos negros como ameixas e cerejas. Os taninos enchem a boca e marcam o palato. Equilíbrio, fruta e complexidade aromática típicos (e únicos) do Douro. Longo, intenso, cheio e uma vivacidade que promete ainda muitos anos de boa evolução. Um senhor vinho do Douro."  da ficha técnica (667) e
  • Chateau Gravas 13,5%  álcool, ano 2008, vinho branco licoroso doce. Sauternes, Grand vin de Bordeaux (668).
A rolha comprometeu o vinho. O cristal de tártaro é o brilho na rolha.

Como podemos ver, a rolha apresenta sinais de que vasou. Podemos ver até sinais de Cristais de tártaro na rolha. Cristais de tártaro ou Bitartarato de potássio, também chamado hidrogeno tartarato de potássio é um subproduto da fabricação de vinho. Também é conhecido como creme de tártaro. Bitartarato de potássio cristalisa-se em barris de vinho durante a fermentação do suco de uvas. Tem aplicações nos alimentos, na química e em medicamentos.