domingo, 19 de agosto de 2012

Viagem para a Espanha (Parte 2, Rioja)

03/09/2007

Saímos de Madri e iniciamos nossa viagem à região de Rioja, o ônibus era grande e o motorista (Sr. Manolo) fumava demais. Almoçamos em Tudanco, Aranda del Duero Sur, lá tomamos o vinho da casa - Tudanco 2005, Ribera del Duero, DO, 13,5%, tinto roble, 6 meses em barrica. Comemos chuleta de cordeiro, cerdo, conijo en salsa, chorizo asado, minestra de verduras, ensaladas, fritas, natillas, helado de café.

Chegamos em Haro às 17:00 h. O dono da Casa de Legarda, Jesus, encontrou-nos na Plaza de Toros para nos guiar até Briñas, um pequeno município de 2,44 Km² e 250 habitantes.
O lugar era rodeado de vinhedos, simplesmente lindo!

Casa de Legarda

Ficamos hospedados na casa rural, Casa de legarda.

CASA RURAL DE LEGARDA
CALLE REAL 11
26290 BRIÑAS
LA RIOJA

Jesus nos recepcionou com um vinho da casa “a palo seco” (sem acompanhamento), um tempranillo, 2005, sin crianza. Em seguida, serviu um Banda Oro, crianza, 2001, panternina, 12%.
Após, convidou-nos para um passeio pelos vinhedos, pela vila, margeada pelo Rio Ebro.
Apesar da hora (19:00 h), estava muito claro, pois era final do verão e com horário especial (duas horas a mais de diferença).
Fomos ver um marco das origens da Casa de Legarda, do ano de 1639.


O passeio foi muito agradável, apesar do vento forte. Os vinhedos já estavam com os cachos (racimos) quase maduros para a vindímia.Haviam cachos no chão, em consequência do raleio.
O raleio de frutos ocorre "para obter-se produção de frutos com boa qualidade e com rentabilidade satisfatória. Em geral, a planta fixa muito mais frutos do que o necessário para a produção com qualidade. Como os frutos competem entre si e também com o crescimento vegetativo por água e nutrientes, o desenvolvimento das plantas e dos frutos fica prejudicado com o excesso de frutos." 1

Do alto da colina pode-se ver toda a região de Briñas.

Vinhedos com Briñas ao fundo.

Vimos lagares rústicos, que datavam do início do cultivo das vinhas na região, lapidados nas rocha.


Jantamos na Meson Chomin.Vinho da casa, tempranillo 2006 (não foi muito apreciado pelo grupo). Solicitamos, então, outro vinho, o Tobelos 2003, tempranillo também, 13%, vinícola La Encina.
O menu da casa era composto de sopa, minestra (legumes com ovo, como um omelete), linguiça, salada de aspargos, coelho ensopado e costeletitas de cordeiro. A sobremesa servida foi torta de whisky e profiteroles.

04/09/2007



O café da manhã foi servido no antigo lagar, decorado com um vitral desenhado pelo próprio Jesus (dono da casa), muito saboroso e bem diversificado: o pão era muito fresquinho e a cada dia foi servido um tipo diferente, havia jamon (muito gostoso) e suco de laranja, feito na hora, delicioso.

Todos, pontuais como de costume, prontos para iniciar nossa viagem ao mundo do vinho riojano.

A atendente não era de muita conversa, mas fazíamos todo barulho que tínhamos direito, pois a pousada era só nossa, ao menos nesse primeiro dia (os outros hóspedes só chegariam no dia seguinte).

VISITA A BODEGAS BILBAINAS EM HARO

Situada no bairro da Estação, ao lado de dezenas de outras bodegas, esta vinícola pertence ao grupo Codorniú desde 1997.
Em 1859 estabeleceu-se em Haro, vindo da França, de onde trouxe a cepa sauvignon.
Em 1901 tornou-se Sociedade Bilbainas.
Hoje possui 250 hectares de vinhedos próprios, tempranillo, viura e malvasia, esta última era utilizada para cava, cultivadas num solo calcário típico da região.

Um quilo de uva fornece 700 ml de vinho.
As vinhas são dispostas em vaso e espaldeira, sendo que a colheita é manual nas vinhas em vaso e mecanizada nas espaldeiras.

Em uma das dependências da bodega estavam fazendo o "trasiego", que consiste no seguinte processo: retira-se o vinho da barrica, lava-se com água quente, após, queima-se uma pastilha de enxofre para desinfetá-la e, no final, a barrica recebe o vinho novamente.
Nesta bodega é tudo automatizado, com transportadoras automáticas que fazem todo o serviço, possuem várias salas para degustação. Degustamos um Viña Pomal, crianza, 2003, 13% e La Vicalanda, Reserva, 2001, 13%, ambos de uva tempranillo, 13%

A tarde fizemos uma VISITA A BODEGAS DINASTIA DE VIVANCO

Fica em Brinhones, a 12 km de Haro.
Visitamos o Museu sobre a cultura do vinho, muito moderno e completo.
Provamos Dinastia Vivanco, crianza, 2004

Jantamos no restaurante Terete, em Haro, cozinha riojana típica, comemos carnero asado en horno a leña. Para acompanhar bebemos um vinho Terete Reserva Especial 2000.


O corderio estava desmanchando, uma delícia!

05/09/2007

Pela manhã, visitamos a Bodegas Ontañon
Esta bodega fica na cidade de Logronho e tem um museu de esculturas de deuses mitológicos gregos. Na fachada tem uma escultura grande que batizamos de "Tonhão".

"Tonhão"



Da esquerda para a direita de cima para baixo:
Cavalo, Perséfone, Noé (o primeiro borracho), Dionísio e Ariadne, vitral "Me introdujo en su bodega", Baco jovem, Centauro e Eurapion, reflexos de Perséfone no mármore.
Mais informações sobre o museu e suas obras de artes veja em http://www.ontanon.es/index.php?menu=10

Depois visitamos a Logroño que faz parte do caminho de santiago de compostela, onde vimos a Catedral Santa Maria de la redonda, a Igreja Imperial Santa Maria de Palacios, a fonte dos pelegrinos e a igreja de Santiago.

De tarde visitamos a Bodegas Marques de Riscal. As Bodegas Marqués de Riscal aliam tradição e prestígio. Sua unidade da Rioja data de 1858, tendo sido a primeira da região a adotar os métodos de vinificação de Bordeaux.
Bodega Marques de Riscal

Belíssima vinícola com o projeto de Frank Owen Gehry, arquiteto canadence que entre outas obras, assina Museu Guggenheim Bilbao. Na arquitetura temos o destaque com o uso do titânio  e que tem o rosa representando o vino tinto, o dourado a malha característica das garrafas de Riscal e o prata que representa a cápsula das garrafas.

Degustamos um Heredeiro Marques de Riscal, Rueda, branco, 13,5%, 2006 e Heredeiro Marques de Riscal Rueda, tinto, Elciego (Alava), reserva, 14%, 2003.

06/09/2007

Pela manhã visitamos a Granja Remelluri. A história da La Granja Ntra. Sra. de Remelluri remonta ao século X de onde temos uma necrópole escavada na rocha e produção de vinho no século XIV por monges Jerônimos.

Provamos um Remelure reserva, 2002, 13%.

De tarde fomos à Bodega El fabulista. Localizada em Laguardia, provincia de Álava. Degustamos Decedido blanco, 2003, 11,5%, Decidido Tinto de año, 2005, 13%, Fabulista Tinto Crianza ****, 2000, 13,5%, Decidido Tinto Selección (12.000 garrafas) e Fabula Tinto Selección (2.000 garrafas).


Voltamos para Briñas e aproveitamos nosso tempo livre para conhecer a vinícola local, a Bodegas heredad baños bezares. Degustamos Gran Bohedal blanco, fermentado em barrica, 2006, Bohedal joven, 2006, Gran Bohedal Crianza, 2002, Gran Bohedal Reserva, 2001

07/09/2007

Visitamo Vitoria-Gasteiz no País Basco, fundada em 1181. É considerada a cidade mais mais arborizada da Espanha. Lá visitamos a Basílica de San Prudencio de Armentia (cuja construção começou nas últimas décadas do século XII, em estilo românico), o Paseo de La Senda (onde vimos a casa do governador e o Museo de Bellas Artes), a Catedral de María Inmaculada (Catedral Nova - construída no século XX, em estilo neogótico, tem até gárgulas falando no telefone e no rádio), a Catedral de Santa Maria (Catedral velha, que está em processo de restauração, onde fizemos uma visita guiada na obra, onde vimos escavações arqueológicas). O Centro histórico também estava sendo restaurado e haviam murais pintados em paredes de casas medievais.

Facistol
Em Najera visitamos o Monastério de Santa María La Real e o Monasterio de San Millán de la Cogolla, fundado no século VI d.C. no município de San Millán de la Cogolla.
É composto de duas edificações San Millán de Suso (no alto da montanha) e San Millán de Yuso (em baixo, a qual visitamos, no fundo do vale) onde vimos as primeiras anotações em castelhano e basco.
Vimos também um Facistol onde é posto livros de canto da igreja. Um relicário com os restos mortais de Santo Emelion. Após, fomos para Haro onde estava tendo uma festa popular - a Festividad de Nuestra Señora la Virgen de la Vega. Lá jantamos.

Fonte:
http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Pessego/PessegodeMesaRegiaoSerraGaucha/conducao.htm



Veja também:
Viagem para a Espanha
Viagem para a Espanha - As Bodas
Viagem para a Espanha (Parte 3, Ribeira del duero)