domingo, 11 de dezembro de 2011

O cozido de Florianópolis

Cozido


Ingredientes:
  • 1 kg de peito (ou musculo)
  • 600 gr de carne seca
  • 700 gr de lingüiça tipo Blumenau
  • 1 unidade(s) de paio
  • 250 gr de linguiça calabresa defumada
  • 100 gr de bacon
  • ½ kg de aipim
  • ½ kg de batata-doce
  • ½ kg de batata salsa
  • ½ kg de cenoura
  • 2 batatas inglesa
  • 6 unidade(s) de cebola pequena(s)
  • 2 unidade(s) de chuchu
  • ½ kg de abóbora de pescoço
  • 1 maço(s) de couve manteiga
  • 2 espigas de milho verde
  • 6 unidade(s) de banana da terra
  • 1 unidade(s) de repolho pequeno
  • sal a gosto
  • pimenta-do-reino preta a gosto
  • alho a gosto
  • salsinha a gosto
  • louro a gosto
  • ½ de uma couve flor
Modo de preparo:
De véspera: Deixe de molho a carne seca cortada em pedaços. Em outro recipiente, coloque o carne de peito ou músculo também cortado em pedaços e temperado com sal, pimenta-do-reino, cebola, alho, salsinha e louro. No dia, escalde as 2 linguiças calabresas e o paio. Em uma panela grande, refogue as carnes que estiveram de molho na véspera. Cubra com água quente até levantar fervura. Adicione o aipim e a batata-doce ferva por 15 minutos. Coloque a cenoura, o e a batata em mais 10 minutos de fervura. Em seguida, as 6 cebolas e só então o chuchu e a abóbora. Adicione agora o repolho. Coloque a linguiça calabresa, o paio e o toucinho defumado. A seguir, acrescente a couve. A sequência do cozimento é fundamental para um melhor resultado. Ao atingirem o ponto de cozimento, os legumes devem ser retirados e colocados à parte. Em separado, lave as bananas, corte as pontas e cozinhe-as com a casca, no mesmo caldo da panela grande onde está o cozido. Descasque e reserve. Divida o caldo, deixando metade para fazer um pirão. A outra metade fica na panela grande, aonde retornam todos os ingredientes para serem aquecidos. Sirva a seguir, em travessas separadas: as carnes; os legumes e verduras; as bananas e o pirão.

Server de 8 a 10 pessoas.


Compatibilização com vinho:
No nosso grupo, fizemos duas degustações onde foi servido cozido.


Reunião nº 13

Dia: 24/06/2000

Tema: vinhos Merlot : "Uva adaptável que dá os grandes vinhos fragrantes e sedosos do Pomerol; juntamente com a Cabernet Sauvignon produz o Sr-Emilion; é elemento importante nos tintos de Medoc; macia e forte na Califórnia , uma coadjuvante útil na Austrália, mais leve mas freqüentemente boa no norte da Itália, Eslovênia, Argentina etc. Palhenta quando não totalmente madura." (Hugh Johnson)
"Outra uva de Bordeaux, dá vinhos mais redondos, não tão agressivos na juventude, como os da Cabernet Sauvignon. Não precisam envelhecer tanto. É plantada em Mèdoc e, em proporções maiores, nas zonas de Pomelrol e St-Emilion. No Brasil é bastante difundida, mas os vinhos são muito diferentes dos franceses." (Saul Galvão)

Vinhos:
  • Gato Negro, 12,5º Gl, ano 1997.Viña San Pedro S.A. Lontué Chile. “Um Merlot simples, descomplicado, meio herbáceo e bom. Fica na média de sua categoria.” ( Saul Galvão). Cor violeta, sabor não muito marcante, aroma agradável. Lágrimas grossas e bem definidas. Foi o que melhor acompanhou o cozido segundo a Ana (061);
  • Louis Eschenauer, 12º GL, ano 1998, vin de pays d´oc engarrafado por Louis Eschenauer Landiras França. Cor granada, aroma e sabor mais marcantes que no anterior (062);
  • Don Laurindo, 12,5º GL, ano 1998, Laurindo Vinhos Finos Ltda., Garibaldi RS, Brasil. Cor rubi, mais fechada que nos vinhos anteriores. Aroma de frutas secas, madeira. Sabor mais ácido e tânico que nos anteriores mas bastante redondo para a maioria dos participantes (063);
  • Finca Flichman, 13,5º GL, ano 1998. Finca Flichman Mendoza Argentina. Cor rubi, bem fechado, aroma de madeira, sabor mais ácido e alcóolico que nos anteriores e bem mais encorpado. “Enche” bem a boca (064);
  • Santa Helena, 12,5º GL, ano 1998, Vinhos de Chile S.A. Lantué Chile. Do mesmo produtor que o Gato Negro, é um vinho com menos personalidade. Tomado depois do Flichman fica parecendo até um pouco doce (065).
Foi servido um cozido. Estava uma delícia e os vinhos da degustação combinaram muito bem com ele, principalmente os menos encorpados como o chileno e o francês.

Reunião nº 90

Dia: 11/08/2007

Tema: Vinhos nacionais artesanais e compatibilização com cozido.

 
Vinhos:
  • Laura, 13% álcool, ano 2004, vinho tinto fino seco. Vinhedos da Barra do Ribeiro, Fazenda Castelinho, Barra do Ribeiro RS Brasil. Casta: Montepulciano. Aparência: límpido, brilhante, cor púrpura escuro. Aroma agradável, não muito intenso e de pouca duração, madeira, baunilha. Na boca agradável fresco sem muito corpo e com alguma adstringência. Acidez equilibrada. Não acompanhou bem o cozido, apresentando-se meio aguado. Este vinho é um capricho de um médico de Porto Alegre que investiu muito para preparar um terroir de produção de vinho numa região não tradicional (nº341);
  • Tormentas Cabernet Sauvignon Secundo, 13,5% álcool, ano 2004, vinho tinto fino seco. Marco Danielle, terras de Encruzilhada do Sul, RS Brasil. Casta: Cabernet Sauvignon. Aparência: límpido, brilhante, cor rubi granado lágrimas grossas. Aroma agradável, de média intensidade, madeira e frutas  Sabor agradável, corpo médio, acidez e taninos equilibrados. Cresceu bastante com os queijos e acompanhou bem o cozido. Vinho também artesanal com produção de apenas 350 garrafas (nº342);
  • Família Zuccardi Reserva Merlo-Cabernet, 14% álcool, ano 2000, vinho tinto fino seco. Santa Rosa Vineyards, La Agrícola S.A. Mendoza Argentina. Castas:30% cabernet sauvignon, 70% merlot. Aparência: límpido, rubi bem fechado.  Aroma agradável intenso, no início bastante carvalho mas com a aeração passando para frutas secas, vinho do porto. Uma garrafa foi aerada no decanter e a outra nas taças dos participantes. Não notamos diferença notável entre as duas, mas nas taças se pode acompanhar melhor a evolução dos aromas. Sabor bem agradável, bastante corpo, taninos e acidez equilibrada. Apesar de ficar 12 meses em barricas de carvalho a madeira não se sobrepõem aos outros sabores. Acompanhou maravilhosamente o cozido (nº343);
  • Esporão Quatro Castas, 14,5 % álcool, ano 2003, vinho regional alentejano tinto fino seco. Herdade do Esporão, Alentejo, Portugal. Castas: Aragonez Trincadeira, Touriga Nacional, Cabernet Sauvignon. Aparência: límpido, púrpura fechado. Aroma de intensidade média, frutado. Sabor agradável elegante com taninos presente, mas equilibrados, corpo médio (nº344).
O destaque da noite foi o cozido estava fantástico.
Cozido