terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Bordeaux

22/05/2006 Porto - Bordeaux.

Partimos do aeroporto da cidade do Porto pela Air France Regional em um avião Embraer EMB-145 para a cidade de Bordeaux que, em 2005, tinha cerca de 230.000 habitantes, sendo que a área metropolitana de Bordeaux-Arcachon-Libourne contava 996.000 residentes. O rio Garonne cruza a cidade. Fomos recebidos pela guia Lúcia e um ônibus de 40 lugares (grande demais para nosso grupo de 10 pessoas). Nosso hotel: QUALITY HOTEL SAINTE CATHERINE,  http://www.holidaycityeurope.com/quality-sainte-catherine-bordeaux/index.htm

Fomos almoçar e tivemos a tarde livre. Próximo ao hotel tinha uma FNAC, onde pudemos copiar as fotos em CD e usar a internet.
A nossa guia foi um desastre, só falava francês e um pouco de espanhol. Como o pacote incluía guia falando em português, a agência mandou um intérprete português, mas que deixou muito a desejar.

23/05/2006 – Saint-Émilion

Pela manhã visitamos o Chateau Belair, um produtor de vinhos de  Bordeaux com appellation Saint-Émilion, é classificado como Premier Grand Cru classé B na classificação de vinhos Saint-Émilion. A propriedade tem 12,5 hectares, dos quais 70% produzem Merlot, 15% Cabernet Sauvignon e 15% Cabernet Franc. Vimos onde são produzidos os vinhos e a cave. A cave é formada por túneis escavados na rocha calcária, na parte subterrânea da propriedade. A rocha calcária é muito comum e dela foram retidas as pedras para a construção da cidade.

Adega nos túneis de pedra calcária

Na degustação foi servido Chateau Belair Dubois-Challon, Premier Grand Cru Classé, Saint Emilion Grand Cru (http://chateaubelair.fr/english.aspx).


Chateau Belair

Depois passamos pela pequena comuna de Saint Emelion e fomos ao Chateu Haut Sarpe. Lá degustamos vinho retirado da barrica com pipeta. Após o passeio pela vinícola fomos conduzidos a um salão onde almoçamos entrecôte (assado sobre fogo feito em galhos de videiras) com batata cozida e pão. Para acompanhar Chateu Haut Sarpe Grand Cru Classe 2001 e Chateu De Sarpe 2003 (http://www.josephjanoueix.com/).

Chateu Haut Sarpe e
o "churrasco sapecado"


De tarde voltamos a Saint Emilion e fizemos um city tour. No século VIII, um monge chamado Emilion resolveu afastar-se do resto dos homens e escolheu um local chamado Ascumbas para viver como eremita, no entanto as boas ações e "milagres" realizados por este homem acabaram por transformar a terra num centro monástico que cresceu à volta do monge e da sua reputação. Visitamos a igreja monolítica, construída dentro de uma rocha calcária (a exemplo da adega do Chateau Belair), Le Cloître, Palais Cardinal e as catacumbas (segundo a lenda, quem beber a água e sentar no banco de pedra, engravida). Depois fomos a um bar que ficava dentro dos muros de um mosteiro semidestruído e bebemos um Crémant (um vinho espumante francês que não é da região de Champagne) e macarons (sobremesa típica francesa). Também visitamos as catacumbas e vimos a câmara mortuária de templários.

Passeio em Saint-emilion e
prova de um Crémant

23/05/2006 – Margaux

No período da manhã fomos ao Château Palmer. Lá visitamos a adega e degustamos um Château Palmer 1996, um Château Palmer 2003 e um Alter Ego 2003. A propriedade conta com 55 hectares de vinhedos sendo que  47% são Cabernet Sauvignon, 47% Merlot e 6% Petit Verdot. Ótimos vinhos.

Château Palmer 1996, Château Palmer 2003
e Alter Ego 2003


No caminho vimos o Chateau Margaux e durante o almoço bebemos um Chateau Haut-Bages Averous/Paulliac e um Château Palmer Alter Ego 2001. De tarde fomos ao Chateau Beychevelle, na região de Médoc. Este castelo tinha a frente virada para o rio por onde se chegava com barcos/navios.
Chateau Beychevelle e sua forma de virar as barricas

24/05/2006 – Baía de Arcachon

No restaurante La cabane 301 provamos ostra cruas produzidos na baia, com vinho branco bag in box de Entre duex mers. Depois tivemos tempo livre, caminhamos no calçadão a beira mar e almoçamos. De tarde subimos a maior duna da Europa, duna de Pilat, com 110 metros de altura. O interessante é que tinha escada para subir a duna. Regressamos a Bordeaux no fim da tarde.

Duna Pilat e a escada para subir
os 110 metros de altura


25/05/2006 - Dia livre

Nos encontramos com um conhecido, o Régis, natural de Bordeaux. Fomos a casa dele tomamos café e vimos alguns álbuns de fotos das viagens dele e da esposa, no deserto do Saara e na amazônia. Depois ele nos levou para um citytour a pé pela cidade de Bourdeuax. Visitamos a praça e a Igreja de Saint Pierre, a praça da bolsa, o teatro da Ópera de Bordeaux, o monumento aos republicanos, o Grosse cloche (o grande sino do século XVI), vimos a torre do Fort du Hâ, as ruínas do anfiteatro romano do século I e a casa onde morou José Bonifácio, em 1824.

Monumento aos republicanos, o Grosse cloche,
ruínas do anfiteatro romano do século I e o piquenique.
Fizemos um piquenique no jardim público de Bordeaux, bebemos um Herdade Esporão branco, um Herdade Esporão tinto, um Le Tourelles Longeville 2003 (Paulliac), um Tapada dos coelheiros e um porto Ramos Pinto 10 anos Quinta de Ervamoira.

26/05/2006 – Despedindo-se de Bordeaux

Manhã livre. Nosso voo para Paris saiu 15h05min para o Aeroporto Orly. Chegando a Paris, nossa viagem estava terminando.  Ficamos hospedados no HOTEL LE BRUM (Rue Le Brum, 33, 75013, telefone 014 7079702, 014 3362345 - hotel simples, mas que deu para o gasto). Fomos a igreja de Saint-Sulpice e lá chegando tinha uma orquestra e um coral ensaiando. Vimos a linha rosa e explicações sobre fatos e mitos do livro O Código Da Vinci.

Jantamos no restaurante 'nos ancêtres les gaulois', 39, rue Saint-Louis-en-l'Ile, Paris, França (lembrava muito as estórias do Asterix e Obelix). Foi servida uma cesta gigante de legumes e verduras cruas e também canecas de estanho para beber vinho (sendo que nós mesmos nos servíamos à vontade nos tonéis de madeira ). O serviço é um buffet de comidas simples, porém saborosas, com carnes grelhadas. A especialidade é Javali.
Cesta de legumes e verduras cruas

27/05/2006 - Voltando para casa

Fomos no museu do Rodin, na Torre Eifel, na ponte de Alexandre III (filme da Anastásia – desenho animado), no Arco do Triunfo, na Place de la Concórdia e vimos o Obelisco de Luxor. Para encerrar nossa viagem fomos ao museu do Victor Hugo.

Veja também:
Viagem para Portugal (parte 1, Alentejo)
Viagem para Portugal (parte 2, Porto e Vila Nova de Gaia)
Viagem para Portugal (parte 3, Minho e Douro)