sábado, 23 de julho de 2011

O quarto ano (2002)

Tainha defumada


No nosso quarto ano, em 2002, experimentamos vinhos com sushi /sashimi, com peixes defumados (tainha e anchova) e com ostras, alem de temas já tradicionais como vinhos de algum país, uva ou produtor. Foram estes: Vinhos italianos II, Vinhos pinot noir - Borgonha/Austrália/ Chile, Vinhos do produtor Giacomo Borgogno – Itália e Vinhos da Nova Zelândia.
Neste ano, fizemos nossa primeira degustação de uma bebida que não era baseada em vinho, fizemos uma degustação de cervejas e terminamos o ano com a compatibilização enogastronômica

As bebidas provadas neste ano foram:
Vinhos e sushi /sashimi: Champagne De Gréville Brut, Don Laurindo, Barbadillo Jerez Fino.
Cervejas: Erdinger Weibbier, Erdinger Weibbier Dunkel, Skol cerveja Pilsen, Xingu Cerveja Escura Premium.
Vinhos italianos II: Cornalé Barbera, Dollatintino, Bolla, Camigliano.
Vinhos e peixes defumados (tainha e anchova): Champagne De Gréville Brut, Viu Manent Semillon, Barbadillo Jerez Fino, Malvasia Delle Lipari.
Vinhos pinot noir - Borgonha/Austrália/ Chile: Chateau de Davenay, Bourgogne Haute Cotes de Beaune, Pinot Noir South Australia, Santa Helena Seleccion Del Directorio Pinot Noir.
Vinhos do produtor Giacomo Borgogno - Itália: Borgono Dolcetto d'Alba, Borgogno Barbera d'Alba, Borgono Nebbiolo Langhe, Borgogno Barolo Clássico, Riserva.
Vinhos da Nova Zelândia: Hunters's Sauvignon Blanc, Palliser Estate, Sauvignon Blanc, Hunter's Pinot Noir, Brookfields Cabernet Sauvignon.
Compatibilização enogastronômica: Porto Lágrima, Pousio, Viu Manent, Cristalino, Casa Rivas Sauvignon Blanc, Riscal Tempranillo, Aurora Moscatel.
Ostras e vinhos: Codorniu Clássico Brut, Cristalino, Casa Rivas Sauvignon Blanc.

Ata da reunião de compatibilização enogastronômica:
Entrada: bolinhos de aipim com camarão e bolinhos de aipim com siri, acompanhados por Cristalino 11,5º G.L., ano 2000, vinho espumante branco brut. Jaume Serra, Finca El Padruel, Vilanova i La Geltrú, Catalunha, Espanha. Castas xareu-lo, macabeo, parellada. Aparência: límpido, cor branco, borbulhas finas. Aroma, intenso, agradável, persistência média. Sabor fresco e agradável com bom equilíbrio na acidez. Acompanhou muito bem os bolinhos servidos.
Saladas: caprese (folhas verdes, tomates e queijo de búfala molho de aceto e azeite extra virgem), natività (frutas e nozes com molho de iogurte) acompanhadas de Casa Rivas Sauvignon Blanc, 13,5º GL, ano 2002, vinho branco seco. Viña Casa Rivas, Maipo Vale, Chile. Casta sauvignon blanc. Aparência límpida, cor branca com reflexos verdes; lágrimas médias. Aroma frutado intenso e persistente. Sabor muito agradável, macio, com acidez presente mas muito equilibrada. Corpo médio. Persistência elevada.
Primeiro prato: tucunaré assado, pescado por um integrante do grupo na Amazônia, com molhos de laranja, vinagrete de shoyu e iogurte com hortelã acompanhado de arroz e farofa do Pará. Os vinhos foram Casa Rivas Sauvignon Blanc, o mesmo das saladas e Viu Manent Chardonnay, 13,5º G.L., ano 2001, vinho branco seco. Viu Manent Y Cia. Ltda.,Colchagua, Chile. Casta Chardonnay. Aparência límpida, cor amarelo palha. Aroma frutado intenso, meio adocicado lembrando banana e com persistência média. Sabor marcante mas meio perfumado demais na opinião de alguns dos participantes. Acidez média. Na opinião da maioria o Sauvignon Blanc combinou melhor com o peixe.
Segundo prato: capivara assada com batatas, acompanhada dos vinhos: Pousio e Riscal. Pousio, vinho regional alentejano, 13º G.L., ano 1999. Vinho tinto seco. Companhia Agrícola de Desenvolvimento S.A. Herdade do Monte da Ribeira, Marmelar, Portugal. Castas periquita, trincadeira, aragonez, cabernet sauvignon (5%). Aparência límpida, cor granada, denso. Aroma intenso, muito agradável, animal, couro, com um fundo de baunilha e com bastante duração. Sabor macio com bom corpo e bastante personalidade. Combinou muito bem com a capivara. Riscal Tempranillo, 13º G.L., ano 1999. Vinho de mesa tinto seco. Viños Blancos de Castilla S.A. Valladolid, Espanha. Casta tempranillo. Aparência límpida, cor púrpura escura quase negra, impenetrável. Aroma intenso de carvalho com bastante duração. Sabor macio com bastante corpo e presença de bastante carvalho. Também combinou com a capivara.
Sobremesa: ambrosia da vovó com queijo tipo minas acompanhada dos vinhos Porto Lágrima e Aurora Moscatel. Real Companhia Velha Porto Lágrima, 19º G.L., ano nd. Vinho do Porto branco doce lágrima. Real Companhia Velha, Vila Nova de Gaia, Portugal. Casta não declarada. Aparência límpida, cor âmbar. Aroma intenso alcoólico, frutas secas e compotas com bastante duração. Sabor agradável bem doce, persistente, álcool potente, bastante corpo; acidez equilibrada. Combinou muito bem com a ambrosia. Aurora Moscatel 7,5º G.L., ano nd, vinho espumante branco suave. Cooperativa Vinícola Aurora Ltda, Bento Gonçalves RS. Aparência: límpido, cor branco, borbulhas médias não muito persistentes. Aroma, fraco, agradável. Sabor agradável mas sem personalidade. Falta acidez. Não conseguiu fazer frente à ambrosia.
Neste ano provamos 37 vinhos neste ano, voltamos a provar neste ano 11 rótulos já degustados. já tínhamos degustados 149 títulos diferentes